terça-feira, 25 de outubro de 2011

A criança nasce na família certa para cumprir sua missão de vida. A reencarnação é planejada.



O feto possui um espírito ativo que influencia na formação do bebê. Vida intrauterina




- A escolha dos pais com os quais o espírito vai encarnar (como filho) acontece justamente porque eles podem oferecer ao espírito a possibilidade de “ativar” determinados complexos de encarnações passadas. Isto significa que a criança terá naquela família as dificuldades e facilidades necessárias para ela cumprir aquilo que foi planejado antes de nascer (missão de vida).

- O retorno do espírito para o corpo é planejado. A família em que ele nascerá será aquela capaz de propiciar o positivo e o negativo que ele precisa para evoluir.

- A escolha da família na qual um espírito vai reencarnar é determinada pelas qualidades e defeitos que fazem parte do núcleo familiar. Toda família possui características que estimulam positivamente ou negativamente a criança, que está em processo de formação.  

Explico-me: uma mãe amorosa, mas medrosa, engravidou. Suas vibrações foram de profundo amor, aceitação e alegria. Junto veio o receio e a insegurança. O espírito que nascerá será estimulado por todos os sentimentos, pensamentos, vibrações e sensações da mãe. Tanto as vibrações de amor quanto as vibrações de insegurança (por exemplo) vão influenciar na formação do feto.

A influência funciona assim: estas vibrações chegam até o feto. Estimulando-o. Na realidade, estimulam os conteúdos espirituais (memórias) relacionados aos temas e que estão presentes no espírito.

Suponhamos que esta mãe tenha medo de perder o emprego. Este conjunto de pensamentos, sentimentos, vibrações e sensações chega até o feto. O feto não tem condições de lidar com estes estímulos. Ele usa o “banco de dados” do espírito. O espírito é a referência, a memória e a percepção do feto.  Ou seja, é o espírito quem dá sentido aos estímulos que chegam da mãe. Chamamos estes estímulos de dinamizadores, pois eles dinamizam e estimulam a memória espiritual, fazendo com que parte dela seja impregnada na mente do bebê antes dele nascer, durante o parto e mesmo depois do nascimento. 

Suponhamos agora que em uma encarnação passada este espírito tenha passado fome por causa de desemprego. As vibrações da mãe dinamizam esta memória do espírito e o resultado poderá ser a ansiedade no feto. A ansiedade no feto gerará uma criança ansiosa (que terá que enfrentar o desafio da ansiedade em sua vida).



Clique em "Curtir Página" e receba informações espirituais


Desta forma, o bebê que nasce é uma continuidade do espírito que nele está encarnado. Ele nasce com informações de outras encarnações e do plano espiritual. O bebê não é uma página em branco, ele possui uma riqueza extraordinária de informações e recursos (é assim que se forma a personalidade do bebê).

A formação da mente é acompanhada pela entrada de conteúdos do espírito, que molda o novo corpo que está se formando.

Somos uma continuidade. Somos um corpo novo conduzido por um espírito antigo, que já teve muitas encarnações, possui muitos recursos, habilidades, conhecimentos, condicionamentos, traumas, etc.

Toda criança é um espírito repleto de vida e de história. É muito importante saber trabalhar com esta história e aproveitar os recursos que foram arduamente desenvolvidos em dezenas (ou centenas) de encarnações.

Lembre-se: o feto está ligado a um espírito que possui capacidade de percepção e memória. Os acontecimentos desta fase da vida são armazenados e influenciam a formação da mente do bebe. Desta forma, as primeiras memórias que o bebê terá serão um misto de memórias intrauterinas com memórias de encarnações passadas.







A mãe insegura (do exemplo anterior) deve se sentir culpada? Não, nunca. A escolha dela (e do pai) para receber aquele espírito deve-se ao conjunto de suas qualidades e dificuldades. O espírito nasce em um novo corpo para lutar, superar dificuldades e evoluir. Ele está reencarnando porque possui muito à aprender e amadurecer. As dificuldades que são dinamizadas na formação do feto JÁ estão presentes no espírito e devem ser por ele resolvidas. 

Traduzindo: a família dinamiza somente aquilo que o espírito que está reencarnando carrega no "coração". É igual na vida cotidiana: o que esperar de um ingrato? Ingratidão. E de uma pessoa desonesta? Desonestidade. Se alguém der um prato de comida para um ingrato, o que será dinamizado? Ingratidão. Talvez o ingrato pense e sinta raiva: "ela me deu arroz com feijão, deveria ter me dado macarrão". Se esta pessoa for grata, ela não terá ingratidão por receber um prato de comida. Só é dinamizado o que está no "coração" desta pessoa. O que não existir, não pode ser estimulado. 

Da mesma forma, se a mãe emitir vibrações de insegurança e o espírito for seguro, ela não irá dinamizar nada. Tudo de bom ou ruim que for dinamizado no espírito é porque já está presente neste espírito. Se no seu "coração" (espírito não tem coração, imagem simbólica) houver paz, o espírito sentirá paz mesmo que os pais não sintam esta paz. O que existir pode ser estimulado, o que não existir não será estimulado. O que for dinamizado (estimulado) será o que o filho terá de bom ou ruim para enfrentar. 

Os filhos são uma benção para a família porque com sua personalidade única contribuem para que os pais também aprendam com eles. Todos aprendem, porque todos possuem muito à aprender e evoluir. 

Leia o capítulo “Quando nascemos estamos preparados para a vida que teremos”, do livro Nascer Várias Vezes. É uma ótima dica de leitura para você se aprofundar neste tema.


Autor: Regis Mesquita
https://twitter.com/saberespirita 




Todos os textos do blog Nascer Várias Vezes em ordem alfabética (mais facilidade para encontrar o texto que deseja estudar) - clique aqui 







Para ler os depoimentos e reflexões de quem leu o livro: clique aqui.

Para conhecer os títulos da cada um dos capítulos do livro: clique aqui




O espírito conduz o corpo e implanta muitas ideias na mente da pessoa




Para refletir:

Uma vida foi gerada. Um espírito encontrou o seu espaço na vida encarnada.

É tempo deste espírito influenciar o corpo e a mente que se forma.

É tempo de impregnar cada célula deste corpo com as vibrações emanadas pelo espírito.

O que há de positivo e negativo, de maduro e imaturo, de aprendizado e de ignorância podem se manifestar na vida do bebê que nascerá.

Sendo assim, o bebê é a continuidade.

É o novo que se forma sob a influência do espírito antigo.

É a nova oportunidade para este espírito experimentar desafios e, por fim, aprender a superá-los.

Cada aprendizado é uma facilidade.

Cada aprendizado é a oportunidade de expandir a vida e estar sempre com seu interior banhado em amor e paz.

Regis Mesquita

Texto originalmente postado na página do Facebook - Nascer Várias Vezes. Nela você encontra uma coletânea de pensamentos baseados nos ensinamentos do livro Nascer Várias Vezes (atualizada diariamente).

Te convido a conhecer a página, curtir e COMPARTILHAR os pensamentos com seus amigos.


Clique em "Curtir Página" para curtir nossa página


Para refletir 2:

O nascimento de cada ser humano é muito bem planejado. São oferecidas a todos as condições necessárias para aproveitar a encarnação para evoluir no que é planejado. Jamais é exigido de alguém a superação de desafios para os quais não tem condição de superar. Portanto, um dos maiores desafios de cada ser humano é aproveitar e desenvolver os muitos potenciais que existem em seu interior.

Regis Mesquita

Pensamento inspirado nos ensinamentos do livro Nascer Várias Vezes http://www.tvphipnose.com.br/mensagens_espirituais.html




Para refletir – resumo:

Quando o espírito vai encarnar, a família em que ele vai nascer é determinada pelas qualidades positivas e negativas delas. O espírito encarna com várias missões de vida; cabe à família permitir que estes desafios surjam na vida da criança. Ele precisa evoluir; portanto, precisa ter os desafios para poder se desenvolver.

Ou seja, as características da família são fundamentais para gerar as condições de amadurecimento e superação dos desafios evolutivos que compõe a missão de vida.



Leia também:










Agradeço às pessoas que acompanham o blog Nascer Várias Vezes, seja recebendo as mensagens via email, sendo seguidoras ou visitando-o de vez em quando. De “boca em boca” os números estão aumentando. Sua participação na divulgação do blog é fundamental. Obrigado!

Coloque o blog Nascer Várias Vezes entre seus favoritos e venha nos visitar sempre. O Blog é sempre atualizado.



Receba as novas postagens do Blog diretamente no seu email. Na lateral direita da página tem um lugar para digitar seu endereço (você receberá um email com um link para confirmar sua solicitação).



Licença para reprodução dos textos do blog Nascer Várias Vezes: siga as instruções


24 comentários:

  1. Adorei o que li. Mas o que acontece quando o bebé escolhe pais jovens que o abandonam? Ou casos em que os bebés são adoptados ou criados pelos avós? Também é propositado?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os espíritos reencarnam com missões, mas eles são livres para escolher. Alguns se desviam do caminho de viver em família. No meu livro conto algumas histórias que vão ilustrar melhor esta situação. Portanto, a resposta é não: ninguém nasce para ser abandonado. Se assim fosse, que responsabilidade teriam os pais que abandonam? Todos têm plena possibilidade de escolher um bom caminho.

      Excluir
  2. Quando uma mulher não quer ser mãe também existe uma razão espiritual para tal acontecer?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pode existir razões relacionadas à encarnações passadas. Também pode esta ausência de interesse pode ter sua origem na vida atual. Hoje em dia existe uma propaganda subliminar maciça contra a maternidade e muitas mulheres seguem esta "manada". Outras possuem desafios que vão além da maternidade. Cada caso é diferente e as possibilidades são inúmeras. Beijos e obrigado pelos elogios. Recomendo estudar os textos deste blog e ler o livro Nascer Várias Vezes.

      Excluir
  3. E quando a mãe engravida de gémeos, um deles morre ainda dentro de sua barriga e o outro tem que ser retirado (com 7 meses de gestação) e vive 22 dias? Após uns poucos meses, a mãe volta a engravidar e, aos 3 meses de gravidez, sofre um aborto espontâneo. E não volta a engravidar. O que pode dizer sobre isto? Obrigada pela atenção que dispensar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rosa, quanta dor. Não controlamos a vida e somos parceiros dela para aprender. Não tenho muito o que falar porque a vida de cada um é muito diferente. As causas, os motivos, as histórias por traz dos sofrimentos são muito diferentes. O primeiro passo é a paz interior; a aceitação que abre espaço para o amor e para novos projetos. Somos todos pegos de surpresa em alguns sofrimentos. Quem sabe ela ainda consegue engravidar. Vou torcer para que sim.

      Excluir
    2. Obrigada por responder. Sim, muita dor, mesmo porque na mesma altura, perdi a minha mãe. Enfim... se há paz interior? Sim, acredito que há uma razão para tudo o que nos acontece e, por muito mais que nos custe, é para o nosso crescimento espiritual. Tenho a certeza que um dia terei a resposta para tudo. Um grande abraço.

      Excluir
  4. Gostei muito do texto mas tenho uma questão: Perdi a minha filha a uma semana de nascer (às 39 semanas), era uma filha muito desejada. Penso que não há reencarnação pois nasceu sem vida. O que poderá ter acontecido? Foi uma provação para nós? Nada se cumpriu? Mas havia um espírito? Obrigada

    ResponderExcluir
  5. Havia um espírito que teve uma breve vida. O espírito já está presente antes do nascimento (mais detalhes sugiro a leitura do livro Nascer Várias Vezes). Ninguém poderá te dizer o que aconteceu. As possibilidades são muitas. O espiritismo tem que ter muito cuidado com pessoas que dão resposta para tudo. Amiga, a realidade é para ser aceita. Siga sua vida e se abra para novas oportunidades de ação e evolução. Paz no coração.

    ResponderExcluir
  6. A vida é um misterio e o que fazer se não viver-la ? Mas, eu gostava de entender o misterio que envolve a minha vida. O rapaz com quem eu casei queria ser pai, tanto quiz que aconteceu mt cedo (cedo demais?) Mas mais tarde abandonou o filho sem olhar para trás. O filho nunca foi o mesmo, começou a sofrer de depressoes cronicas. Hoje é um adulto, é medicado para esquizofrenia. E o pai continua a não querer saber de nada. Nem a familia do pai e muito francamente a minha tb não. O que eu tenho aprendido é que só dá prazer o que é bonito, facil e o que náo interfere com o "egoismo" de cada um.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Força! Siga seu caminho. Não controlamos as decisões das outras pessoas.
      A maior força interior é o amor e a capacidade de se sacrificar. Quem abre mão desta força fica prisioneiro da vaidade, orgulho, etc.
      Prazer é ótimo quando vem acompanhado do amor, do compromisso, da verdade.
      Jamais pense que está perdendo por estar ao lado do filho. Você está ganhando, tenha certeza disto.
      Paz e Bem!

      Excluir
  7. Bom dia! Queria tirar uma dúvida... E quando uma mãe morre no parto por complicações? Aquele bebê foi muito desejado... E anos depois, vc descobre q aquela criança sempre esteve em seus sonhos...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É uma história triste. Mas, para quem vê o processo espiritual entende que o espírito continua por milhares de anos. Cada evento negativo gera desafios que podem ser transformados em sabedorias e fortaleza. Lembre disso: https://caminhonobre.com.br/2017/01/17/tudo-o-que-nao-provem-do-espirito-e-sempre-pequeno/
      Por outro lado, deve-se sempre levar em conta que este espírito (o bebê desejado) muito possivelmente possui vínculos afetivos com os membros da família. O que torna forte a conexão com ele.

      Excluir
  8. Obrigada pelo texto. E como influenciam uma depressao e a medicação anti-depressiva tomada pela mae enquanto carrega o bebe? Fiz uma defesa de doutoramento gravida de 2 meses do meu filho. A ansiedade era enorme. A que grau isto pode influenciar o bebé? Agradeço a sua disponabilidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Toda experiência da mãe influencia o filho. Leia mais no meu livro Nascer Várias Vezes.
      Uma das regras para uma boa mãe e boa educação: não se sinta culpada. Você oferece para seu filho muitas coisas boas. Estas coisas boas serão uma boa base para a própria caminhada dele.
      Torne melhor, para oferecer mais. Mas, tenha paz de espírito porque ainda possui muito a aprender. Boa educação precisa de paz de espírito.
      Pela sua pergunta e pelo seu interesse, eu acho que esta criança teve muita sorte em tê-la como mãe.
      Paz e Bem!

      Excluir
  9. fiquei gravida em 2012 de gemeos com 2/3semanas perdi um dos bebes e tiveram-me que retirar o outra ainda com vida porque tinha uma gravidez etopica acabei por ficar sem os meus bebes. Ao fim de um ano voltei á engravidar e o meu filho agora com 3anos veijo-o muitas vezes a falar sozinho e a brincar com alguem que eu não veijo, um dia destes abri a minha pagina no facebook e apareceuu uma foto da avó que faleceu em 2012 e ele me diz que era avó dele e que é com ela que ele fala e brinca, nunca falamos dela e nem fotos dela tambem nunca mostramos-lhe(eu e o pai) e ele nunca chegou a conheçe-la, o facto de eu durante a gravidez dele ter falado varias da avó e ir á campa da minha sogra é possivel de ele ter ficado com essas memorias adquiridas durante a gestação e fazer da avó uma amiga imaginaria?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poder pode. Mas, estas afirmações devem ser feitas após um estudo sério para que não vire crendice. Amigos imaginários são comuns. Ele pode ter visto ou ouvido algo a respeito da avó, etc.
      Lide normalmente com este fato. Ele é, na maioria das vezes, irrelevante.

      Sugiro que leia os textos sobre pesquisas científicas aqui do blog nascer Várias Vezes: http://www.nascervariasvezes.com/search/label/pesquisa%20cient%C3%ADfica

      Excluir
  10. E quando o seu maior sonho é ser mãe, e esse sonho parece ser o mais inatingível de todos? Tenho um casamento estavel, muito amor e vontade. Entendo que ê tudo no tempo de Deus e que temos que estar em perfeito estado pra receber uma vida.. Mas quando vejo pessoas sem estabilidade nenhuma (emocional, financeira, parceiros) recebendo seus filhos, e não valorizando-os, sinto me impotente. Minha vontade é pegar a criança e cuidar... Mas sei que isso acontece porque meu sonho é maior que qualquer coisa..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São desafios que podem ser vencidos com a ajuda da ciência. Algumas vezes ela não basta, porque existem bloqueios psíquicos. No meu livro tem uma parte que fala sobre cura e evolução. É um tema muito vasto e difícil de ser explicado em uma resposta.
      Estude e busque.

      Excluir
  11. kkkkkk Fácil para você falar isso, quando nasceu branco, com condições financeiras, com saúde e em uma família bem estruturada. Espiritismo é o mal personificado! Arrumam justificativas sem provas para todas as atrocidades do mundo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, nasci branco, saúde, família bem estruturada, etc. Porém, meu caro, cuido de fazer da minha vida uma grande oportunidade de aprendizado e de ajuda ao próximo.
      Sim, muitos sofrem mais do que eu. As vezes, me pergunto porque tenho alguns privilégios. E observando estas facilidades me conecto com o amor para ter força para ajudar muitas pessoas.
      Perdi meus pais muito cedo, nunca reclamei. Superei problemas de saúde e enfrento outros. Nunca reclamei.
      Nem nunca ri dos outros ou os critiquei. Muito menos desrespeitei as crenças de cada um.
      Algo te incomoda! Se não fosse assim não leria o texto desta página e nem teria deixado a mensagem. Torço para que você se descubra e encontre a paz interior. Não me importo com suas crenças, mas deixe seu coração menos amargo. Será mais fácil evoluir desta forma.
      Paz e Bem!

      Excluir
  12. Meu filho foi muito desejado por toda a família,minha gravidez foi super tranquila,só não consigo entender porque nós dois não damos certo de jeito nenhum..ele acabou de completar 18 anos.. porém cada atitude dele,me faz ficar impressionada como parece com as minhas. Somos muito igual,será que seja esse motivo que não nos entendemos? Por sermos tão parecidos?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amiga, sugiro a leitura do meu livro Nascer Várias Vezes e de vários outros textos deste blog.
      Resumidamente: a família é uma união, dentro dela existem forças desagregadoras. Mágoas, raivas, distúrbios de personalidades, históricos de desavenças de vidas passadas, etc.
      Use a sua evolução espiritual para motivar a transformação de seu filho. Você também pode buscar ajuda da psicologia, etc.
      Comece pela leitura do livro e deste texto: http://www.nascervariasvezes.com/2012/10/meu-irmao-me-odeia.html
      Paz e Bem!

      Excluir
  13. Excelente!!! já tinha um pouco de conhecimento sobre o assunto.........!!!!!!!

    ResponderExcluir

Seja bem vindo, seu comentário é importante. Você também pode receber emails das novas postagens do blog. Inscreva-se no final da página de textos do blog (depois confirme no seu email).

Siga o Blog Nascer Várias Vezes no Twitter

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...